1.25.2008

Poema Para Pessoas Que São Compreensivelmente Atarefadas Demais Para Lerem Poesia
(Stephen Dunn)


Relaxe. Isto aqui não vai durar muito.
Ou se for, ou se os versos
te deixarem sonolento ou entediado,
ceda ao sono, ligue a T.V., embaralhe as cartas.
Este poema foi feito para comportar
tais coisas. Seus sentimentos
não podem ser feridos. Eles existem
em algum lugar no poeta,
e eu estou muito longe.
Pegue-o a qualquer hora. Comece
no meio se assim desejar.
Ele é tão absorvente como o melodrama,
e pode te oferecer violência,
se é violência de que você gosta. Olhe,
há um homem na calçada;
o jeito que sua perna manca
ele nunca mais será o mesmo.
Este é o seu poema
e eu sei que você está ocupado no escritório
ou que as crianças estão te enloquecendo.
Talvez seja sexo o que você sempre quis.
Bem, eles jazem juntos
como os casacos desabotoados,
empilhados na cama,
esperando que mãos ébrias os movam.
Não acho que você queira que eu prossiga;
todo mundo tem suas próprias expectativas
mas este é um poema para o família toda.
Agora mesmo, Budweiser
está escorrendo de uma cascata,
desodorantes estão chiando nas axilas
de pessoas que se parecem com você,
e dois amantes estão se vestindo,
dizendo adeus.
Eu não sei que música este poema
comporta, mas ele claramente
precisa de uma. Pois é aparente
que não voltarão a se ver
e precisamos de música para isso
porque nunca houve música quando ele ou ela
te deixaram imóvel na esquina.
Perceba, eu quero que este poema seja
melhor que a vida. Quero que você olhe pra ele
quando a ansiedade ziguezaguear no seu estômago
e o último tranquilizante já era
e você precisa de alguém que te diga
eu estarei aqui quando você precisar de mim
como o som dentro da concha.
É isso que o poema está dizendo a você agora.
Mas não dê nada por este poema.
Ele não espera muito. Ele nunca dirá mais
do que se pode entender ouvindo.
Apenas guarde-o na sua pochete
ou na sua casa. E se você não dormiu
até agora, ou não ficou incrivelmente entendiado,
o poema quer que você ria. Ria de
si mesmo, ria deste poema, de toda poesia.
Vamos lá:

Bom. Agora eis o que a poesia pode fazer.

Imagine-se como uma larva.
Há uma contorção terrível e, de repente,
você tem beleza pelo tempo que viver.

(Tradução de Renato Mazzini)

*

Poem For People That Are Understandably Too Busy To Read Poetry
(Stephen Dunn)


Relax. This won't last long.
Or if it does, or if the lines
make you sleepy or bored,
give in to sleep, turn on
the T.V., deal the cards.
This poem is built to withstand
such things. Its feelings
cannot be hurt. They exist
somewhere in the poet,
and I am far away.
Pick it up anytime. Start it
in the middle if you wish.
It is as approachable as melodrama,
and can offer you violence
if it is violence you like. Look,
there's a man on a sidewalk;
the way his leg is quivering
he'll never be the same again.
This is your poem
and I know you're busy at the office
or the kids are into your last nerve.
Maybe it's sex you've always wanted.
Well, they lie together
like the party's unbuttoned coats,
slumped on the bed
waiting for drunken arms to move them.
I don't think you want me to go on;
everyone has his expectations, but this
is a poem for the entire family.
Right now, Budweiser
is dripping from a waterfall,
deodorants are hissing into armpits
of people you resemble,
and the two lovers are dressing now,
saying farewell.
I don't know what music this poem
can come up with, but clearly
it's needed. For it's apparent
they will never see each other again
and we need music for this
because there was never music when he or she
left you standing on the corner.
You see, I want this poem to be nicer
than life. I want you to look at it
when anxiety zigzags your stomach
and the last tranquilizer is gone
and you need someone to tell you
I'll be here when you want me
like the sound inside a shell.
The poem is saying that to you now.
But don't give anything for this poem.
It doesn't expect much. It will never say more
than listening can explain.
Just keep it in your attache case
or in your house. And if you're not asleep
by now, or bored beyond sense,
the poem wants you to laugh. Laugh at
yourself, laugh at this poem, at all poetry.
Come on:


Good. Now here's what poetry can do.


Imagine yourself a caterpillar.
There's an awful shrug and, suddenly,
You're beautiful for as long as you live.

Um comentário:

laura n. disse...

Oi: essa sua tradução de S. Dunn, bem bacana, será que posso reproduzir, com os devidos créditos? pergunta meio estranha, eu sei, de ilustre desconhecida, eu sei... mas é isso. Obrigada.